...

.


O amor é lindo, faz-nos bem à alma, e felizes. Dá ainda mais sentido à vida, há borboletas, arrepios pela espinha e corações a bater a mil à hora.
Resumindo, é fantástico estar e ser correspondido no amor. Até aqui estamos todos de acordo, certo?
Mas, uma relação não é sempre perfeita, sempre sorrisos, sempre falinhas mansas, meu lindo para aqui, minha bichaninha para acolá.
Por vezes é preciso sangue frio. Gelado em algumas situações.
Os homens são o máximo, sem ironias, ou talvez com uma ligeira ironia. Aqueles cérebros são do mais elementar que há, mas nós,mulheres, eu pelo menos, nem sempre os entendo. Devem ser programados matematicamente e, na matemática, sou um zero à esquerda.
Modéstia de lado.
Sou uma rapariga que tenta compreender muitas coisas. Dar espaço de manobra suficiente para que ninguém se sinta sufocado. Há que perceber quando eles querem ir ter com os amigos para beber uns copos, quando precisam de ir espairecer e dar uma volta de moto, sim, há quem precise disso. Muito bem, ide lá passear, sentir o vento no capacete.
O que me incomoda são os pequenos atritos, aquelas discussões da treta que surgem por motivos completamente estúpidos. A palavra é essa mesma, estupidez. E depois, gaja que se preze tem que bater o pé, nem que seja só um pouquito e só porque sim. O pior é quando o só porque sim não fica por ali e saem disparadas pela boca fora, palavras que magoam.
Mas que raiva, nos filmes não é nada assim. Nos filmes que passam na minha televisão as coisas são mais simples.
Eu, que sonho com o príncipe encantado, aquele que irá compreender tudo o que digo através de um olhar, que adivinha os meus desejos e pensamentos, que nunca se irá chatear por eu bater um pouco o pé.
Falava no outro dia com um amigo sobre uma situação em particular quando ele se sai com “ o príncipe encantado não existe e, a nós homens, existem imensas pequenas coisas que nos escapam. Não nos podes levar a mal.”
Levar a mal? Quem, eu? Disparate.
O que eu levo a mal, mas mesmo, mesmo a mal, são esses filmes e series que nos querem passar a ideia de que tudo é perfeito numa relação, é que, mesmo sabendo que não passa de ficção, uma pessoa quase que acredita.
Quase que se deseja que seja, sempre e para todo sempre, assim.

6 Opiniões Sinceras:

Le Enfant Terrible disse...

Toda a gente quer ver aquilo que não pode ter e se calhar não têm por verem!

kataryna disse...

Pois e quando não nos dão a atenção necessária e acham que têm razão...
Bah..os homens deviam vir com livro de instruções xD

Reporter Da Vida disse...

Eu também ando, ou melhor, andava à procura do principe encantado. Mas depois percebi que não existe. Portanto, procura apenas alguém que te faça feliz, independentemente dos seus defeitos ou qualidades. q.b

Gostei do teu blog. :)

S* disse...

As coisas só sao bonitas e perfeitas nos filmes. Na vida real lixamo-nos bem lixadas.

im disse...

É verdade desde a infancia levamos com histórias de principes e princesas. Histórias sempre com um final feliz! Vamos crescendo e vamos aprendendo a duras penas que talvez os finais felizes não existam...no entanto somos teimosas e continuamos a querer acreditar que sim...e às vezes também eu quero acreditar!

Miss Complicações disse...

Elle:

Sinceramente acho que os homens são simples. Correndo o risco de ser fuzilada, digo-o porque são mais práticos, menos exigentes com a vida. Não querem ser o marido perfeito, o pai perfeito, o trabalhador perfeito, o genro perfeito... wherever...
Já as mulheres passam, a vida em busca da perfeição que nunca vão alcançar dai serem tão amarguradas com a vida. A mulher quer ser mãe perfeita, mulher perfeita, nora perfeita, amiga perfeita, esposa perfeita, amante perfeita... A mulher preocupa-se tanto em ser perfeita que passa a vida a procurar algo feito à sua imagem.
Se os homens não querem princesas porque haveremos nós de querer príncipes?

 
Template by suckmylolly.com - background image by elmer.0